Proposta de Paulo Bengtson cria centro especializado na saúde preventiva do homem


    Paulo Bengtson: “Serão ações de atenção primária, secundária e terciária dos serviços de saúde.”


Está em análise no Congresso Nacional um projeto de lei de autoria do líder do PTB na Câmara dos Deputados, Paulo Bengtson (PA), que cria um espaço dedicado ao cuidado com os brasileiros, é a Casa de Proteção à Saúde do Homem (PL 701/22).

“O homem vive, em média, 7 anos menos do que a mulher. Ele, por não fazer exames, se cuidar, não ter alternativas, ou até mesmo pelo preconceito que existe na sociedade, acaba negligenciado sua própria saúde. Então queremos trazer a Casa da Saúde do Homem para as cidades brasileiras”, afirma.

No texto, as ações de melhoria das condições de saúde da população masculina englobam promoção, prevenção, recuperação e reabilitação voltadas ao exercício da saúde integral. Os centros trabalharão em alinhamento à Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH).

Para o deputado paraense, a iniciativa deve ser instalada em municípios brasileiros assim como ocorre com a Casa da Mulher Brasileira. “Temos a Casa da Mulher, e agora podemos ter a Casa do Homem. Eles morrem de doenças que poderiam muito bem serem cuidadas e tratadas no início se houvesse um diagnóstico através de exames. Há necessidade de uma política pública voltada para os homens”, defende.

Em 2020, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostraram que, sem considerar os efeitos da Covid-19, os homens tinham uma expectativa de vida aproximada em 73 anos, contra 80 das mulheres. E a qualidade de vida não afeta apenas a população masculina mais velha. Pesquisa da instituição também revela que um garoto de 20 anos tem 4,5 mais chances de não completar 25 anos do que uma garota da mesma faixa etária.

Barreiras

O autor do projeto pontua aspectos estruturais que dificultam o acesso dos homens à saúde preventiva, como a lentidão de atendimentos e procedimentos dos serviços públicos, que “desencorajam especialmente os trabalhadores e as trabalhadoras a procurar por cuidados à sua saúde”.

“Soma-se a essa dificuldade o fato da legislação trabalhista brasileira não conceder direito ao homem de se ausentar do trabalho, sem prejuízo da remuneração, para a realização de consultas e exames médicos preventivos”, explica Paulo Bengtson.

Tramitação

O projeto tramita acompanhado de outras propostas e, no momento, aguarda parecer do relator na Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF). Os PLs ainda serão analisados pelas Comissões de Finanças e Tributação (CFT) e de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC).

Reportagem — Carlos Augusto Xavier, com a colaboração de Regina Mesquita
Foto — Jotaric

Comentários

Não existem comentários

Postagem de comentários após três meses foi desabilitado.
  • ©2022 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.