Nivaldo Albuquerque determina tratamento aos pacientes com síndrome de Covid Longa


  Nivaldo Albuquerque: “Grande número de curados da infecção aguda ainda apresentam sequelas.”


Cerca de 1 a cada 10 pacientes com Covid-19 ainda apresenta sintomas por pelo menos 12 semanas após o contato inicial com o vírus. Este público está com Covid Longa. Para reduzir o quadro da síndrome, o líder do PTB na Câmara dos Deputados, Nivaldo Albuquerque (AL), apresentou projeto de lei que determina o tratamento desses pacientes (PL 2369/21).

A doença, também conhecida como “Covid-19 pós-aguda" ou "síndrome pós-Covid", é caracterizada pelo prolongamento dos sintomas causados pela infecção inicial do novo coronavírus por meses, mesmo após recuperação da infecção aguda. O deputado afirma que o objetivo é criar um programa de tratamento aos pacientes com síndrome de Covid longa pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“Além dos sintomas graves e do risco de morte pela Covid-19, um grande número de pacientes curados da infecção aguda apresentam, durante um tempo ainda não exatamente delimitado, sintomas como fadiga, debilidade cognitiva, dificuldade de respirar, dores de cabeça, fraqueza muscular, depressão, insônia, queda de cabelo e perda dos sentidos do paladar e olfato”, explica Nivaldo.

SUS

O parlamentar alagoano reforça a importância do SUS como mecanismo de oferta de diagnósticos, de recursos terapêuticos e de equipes multidisciplinares capazes de tratar a Covid Longa.

Na proposta, também deve existir a denominação de centros de referência para tratamento de pacientes com síndrome de Covid Longa, a divulgação dos sintomas e sinais da Covid Longa e dos centros de referência para seu tratamento entre a população, e o estímulo à pesquisa e produção científica sobre a síndrome de Covid Longa.

Estudos

Nivaldo Albuquerque aponta que, devido ao pouco tempo de existência, a Covid Longa está sendo estudada por muitas equipes de pesquisadores em todo o mundo. Um dos estudos mais recentes e concentrados sobre o assunto é uma pesquisa feita em Wuhan, na China.

O estudo feito no local do primeiro surto revela que 76% dos pacientes hospitalizados com Covid-19 ainda apresentam sintomas seis meses após o início dos sintomas, e até nove meses após a doença 30% dos pacientes ainda relatam sintomas. A pesquisa reflete um relatório feito no Reino Unido no qual aponta que 7 a cada 10 pacientes não se sentem totalmente recuperados cinco meses após alta.

Reportagem – Carlos Augusto Xavier
Foto – Jotaric

Comentários

Não existem comentários

Postagem de comentários após três meses foi desabilitado.
  • ©2022 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.