Marcelo Moraes destaca ações do presidente Bolsonaro no combate à pandemia


           Marcelo Moraes: “Não existe indício de corrupção por parte do governo federal.”


Linhas de crédito para amparar empresários, auxílio emergencial para proteger trabalhadores e avanços na logística da imunização no Brasil. Essas são algumas das ações do Poder Executivo durante a pandemia causada pelo novo coronavírus e relatadas pelo vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, Marcelo Moraes, em entrevista concedida à Rádio Gazeta.

De acordo com o parlamentar, diferente do que a oposição ao governo federal enfatiza, o Presidente Jair Messias Bolsonaro foi quem mais atuou com medidas nas áreas da saúde e da economia durante o enfrentamento da Covid-19.

“Se a gente começar a refletir e analisar todas as ações para enfrentamento da pandemia, quem realmente trabalhou para enfrentar a crise foi o governo federal. Isso tudo sendo que não existe nenhum resquício ou indício de qualquer desvio e qualquer ato de corrupção por parte do governo federal”, afirma.

Saúde

Para a saúde, Marcelo Moraes destaca os investimentos do Poder Executivo que oportunizaram, só no Rio Grande do Sul, um triplo aumento no número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), saindo de 900 leitos no começo da pandemia e chegando, hoje em dia, a cerca de três mil leitos de terapia intensiva.

“Mais que isso, o governo federal teve destaque com a compra da vacina. No final de 2020, foi aprovado R$ 20 bilhões para a compra do imunizante, mas o Poder Executivo identificou uma dificuldade de entrega dessa vacina, então foi lá e colocou mais R$ 2 bilhões para a compra de insumos para a Fio Cruz, assim nós pudemos fabricar o imunizante”, relata o deputado ressaltando que o Brasil é um dos poucos países que fabricou a vacina no próprio território.

Economia

Além da pandemia ter causado uma crise sanitária, houve também uma crise econômica. E para aliviar as dificuldades financeiras desse período, o parlamentar lembra da criação do auxílio emergencial, que deu oportunidade de renda para trabalhadores desamparados.

“Dinheiro este que não ajudou somente o trabalhador, ajudou também a aquecer a economia porque esse dinheiro foi chegar lá no mercadinho, foi chegar no posto de gasolina, foi chegar na loja do Comércio, aquecendo a economia no nosso País”, explica.

Marcelo Moraes também aponta que, desde o início da pandemia da Covid-19, foi o governo federal quem buscou linhas de crédito para amparar os empresários. Além disso, quem assumiu o pagamento dos funcionários de empresas privadas em até R$ 3 mil por empregado, por mês – para impedir o fechamento dessas empresas –, também foi o governo federal.

Legislativo

O deputado gaúcho também destacou que foi o Poder Executivo o autor do projeto encaminhado à Câmara com objetivo de garantir que os estados e os municípios recebessem da União os mesmos repasses federais do ano anterior à pandemia.

“Ou seja, quem perdeu a arrecadação em 2020 foi o governo federal. Os governos municipais e estaduais tiveram garantidos o mesmo orçamento de 2019. Há décadas a gente enxerga uma dificuldade de prefeituras e estrados de fecharem as contas no final do ano e pagarem o 13º salário dos servidores. No ano de 2020 não teve isso porque houve uma economia”, diz.

CPI da Covid

Ao citar esses fatos, Marcelo Moraes analisou o trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. Para ele, a CPI é um instrumento da oposição para tentar, cada vez mais, politizar a pandemia.

“No momento em que nós deveríamos estar de mãos dadas e deveríamos estar caminhando rumo a uma ajuda mútua para tentar superar esse momento e essa crise, que não é só nacional, é mundial, a gente vê essa CPI que é algo que não soma e não agrega em nada para o nosso país”, finalizou.

Reportagem – Carlos Augusto Xavier
Foto – Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Comentários

Não existem comentários

Postagem de comentários após três meses foi desabilitado.
  • ©2021 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.