Posse de arma na propriedade rural levará mais segurança ao campo, prevê Marcelo Moraes


     Marcelo: “Agricultores estão completamente desassistidos em termos de segurança pública.”
  

O deputado Marcelo Moraes (PTB-RS) acredita que a lei que vai garantir ao dono de uma fazenda o direito de andar com uma arma de fogo em qualquer parte de sua propriedade diminuirá o número de crimes, como roubos e furtos, no campo. Atualmente, a posse de arma só é permitida na sede da propriedade rural.

O projeto de lei que trata do assunto (PL 3715/19, do Senado) foi aprovado pelo Plenário da Câmara na noite de quarta-feira (21) por 320 votos a 61 e será enviado à sanção presidencial.

O texto considera, para fins de posse de arma de fogo, toda a extensão do imóvel rural como residência ou domicílio.

Sem polícia

Marcelo Moraes destaca que, nas propriedades do interior do Brasil, os agricultores estão “completamente desassistidos” em termos de segurança pública.

“Lá não tem delegacias de polícia e não há viaturas. A polícia não está em todas as esquinas, como acontece nas cidades. Por isso, acredito que a aprovação desse projeto já inibe um pouco a ação daqueles que querem fazer o assalto. Isso, com certeza, traz um pouco mais de segurança para o interior”, avalia.

Roubo de gado

O parlamentar acrescenta que a permissão para transitar na propriedade rural com arma de fogo deve vir acompanhada de outras medidas de segurança pública para evitar, por exemplo, o roubo de gado.

“As brigadas militares e as polícias têm que começar a trabalhar a inteligência, porque são quadrilhas, não são casos isolados, que cometem esse tipo de crime. Também é preciso trabalhar algumas patrulhas rurais. No Sul, temos umas regionais que atuam justamente nessas questões do interior”, ressalta.
 
Reportagem – Renata Tôrres, com a colaboração de Regina Mesquita
Foto – Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
 

Comentários

Não existem comentários

Postar um comentário

  • ©2019 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.