Projeto de Bengston prevê tratamento para cães com leishmaniose em vez de eutanásia


  Paulo: “OMS e pesquisadores questionam eficácia do sacrifício de animais para combater a doença.


Projeto de lei do deputado Paulo Bengtson (PTB-PA) pretende promover o controle da eutanásia de animais portadores de leishmaniose visceral canina (PL 884/19).
 
O texto prevê a possibilidade de o tutor do cão optar por tratamento medicamentoso orientado por veterinário inscrito em órgão local de controle de zoonoses. A proposta está em análise na Câmara dos Deputados.
 
"O projeto procura garantir aos proprietários o direito de tratarem seus animais em vez de sacrificá-los, arcando não apenas com os altos custos do tratamento, mas também com o compromisso de que os animais possam ser acompanhados pelos órgãos de controle de zoonoses”, explica o parlamentar, que também é médico veterinário.
 
Vacina
 
A proposta ainda obriga o poder público a disponibilizar vacina de prevenção à leishmaniose, que deverá ser oferecida gratuitamente pelos órgãos de controle de zoonoses e canis públicos dos municípios.
 
Para a obtenção da vacina, o tutor deverá apresentar exame que comprove que o animal não está infectado pela doença. O exame deverá acompanhar o certificado de vacina cada vez que for solicitado pelas autoridades municipais.
 
“Ao contrário do que tem sido divulgado, a Organização Mundial de Saúde e vários pesquisadores questionam a eficácia do sacrifício de animais como medida de combate à leishmaniose visceral canina. Isso é o que afirmam várias entidades de proteção aos animais, que questionam a matança desnecessária dos bichos, quando há tratamento disponível”, destaca Paulo Bengtson.
 
Tramitação
 
A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; de Finanças e Tributação; e Constituição e Justiça e de Cidadania.
 
(Com informações do Câmara Notícias)
Foto – Jotaric

Comentários

Não existem comentários

Postar um comentário

  • ©2019 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.