PTB estará à disposição para dialogar em prol do bem do País, diz Pedro Lucas Fernandes


   Pedro Lucas: “A nova bancada é um PTB oxigenado, com muita vontade de trazer novas ideias.”


Em entrevista à TV Câmara, o futuro líder do PTB na Câmara dos Deputados, Pedro Lucas Fernandes (MA), falou sobre os temas que devem mobilizar o Congresso Nacional nos próximos meses: reforma da Previdência, economia, pauta de costumes e eleição para a Presidência da Câmara dos Deputados – primeiro ato da renovada bancada do PTB.

Como todos os outros novos congressistas, o atual vereador de São Luís (MA) tomará posse como deputado federal em 1º de fevereiro deste ano.

Novo governo

Ao analisar as perspectivas do governo do presidente Jair Bolsonaro, Pedro Lucas afirmou que a gestão do novo chefe do Poder Executivo “gera muita expectativa”.

Ele acredita que, a partir da posse, a tendência é Bolsonaro aumentar a interlocução com o Congresso Nacional. “O presidente sabe que o Parlamento é importante para dar estabilidade ao seu governo”, ponderou.

Em relação ao PTB, o futuro líder foi categórico: “As conversas vão aumentar e o partido vai estar à disposição para conversar e dialogar para o bem do País.”

Presidência da Câmara

Sobre a eleição para presidente da Câmara dos Deputados, Pedro Lucas disse “estar dialogando” com os atores envolvidos. Ele já esteve com o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia, e com outras lideranças importantes da Câmara.

“A Presidência da Câmara é uma construção de ideias”, analisou. Por isso mesmo, segundo ele, é necessário conversar muito, ver o que pensam os candidatos para, a partir daí, levar o tema à bancada do PTB.

“Os deputados do partido vão decidir e votar em conjunto, para escolher um presidente democrático”, declarou.

Reforma da Previdência

Pedro Lucas Fernandes não tem dúvida de que a reforma da Previdência precisa ser encarada como um caminho para ajudar a reequilibrar as contas do Brasil.

“O PTB tem a consciência de que precisa enfrentar essa questão. A reforma previdenciária é uma das formas para tentar equilibrar esse déficit”, disse.

Sobre a reforma da Previdência debatida no governo anterior, Pedro Lucas diz que ela “não atende à sociedade como um todo” e, por essa razão, está esperando que uma nova proposta venha do Poder Executivo.

Uma questão central defendida pelo parlamentar é a proteção ao trabalhador rural.

“Não é admissível que a gente trate o trabalhador rural da mesma forma que os outros”, afirmou, ao destacar que levará esse tema para debate entre os deputados federais do PTB.

Pauta de costumes

Sobre assuntos delicados, como legalização da maconha, aborto e casamento homoafetivo, Pedro Lucas sabe que, apesar de suas convicções pessoais, é preciso dialogar bastante.
“Eu não decido sozinho. Represento um partido e vou levar os assuntos ao debate. A decisão é do coletivo”, disse.

E é exatamente por saber que temas como esses necessitam de muita habilidade e negociação para serem aprovados que o futuro líder do PTB alertou: “Se não fizermos logo essas votações, se não trouxermos essa discussão logo para dentro do Congresso, vai ser muito difícil haver aprovação nos dois últimos anos.”

Bancada renovada

Tendo havido 100% de renovação na bancada do PTB e sendo o futuro deputado Wilson Santiago (PB) o único com experiência no Congresso Nacional (ele já foi deputado federal por dois mandatos e senador), Pedro Lucas afirmou que “os outros nove deputados estão muito ansiosos”.

O próprio Pedro Lucas é um dos novatos. Porém, boa parte deles já conta com uma importante experiência política em seus estados de origem, como é o caso do futuro líder.

“É um PTB oxigenado, respeitando a nossa história, mas com muita vontade de trazer novas ideias para o Brasil”, ressaltou.

E disse acreditar que haverá um interessante equilíbrio entre a juventude trazida pela mais jovem deputada da Câmara, Luísa Canziani (PR), e a experiência a ser compartilhada por Wilson Santiago.
 
Reportagem – Claudia Brasil
Foto – Jotaric

Comentários

Não existem comentários

Postar um comentário

  • ©2019 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.