Marquezelli reconhece melhorias no trânsito com a entrada em vigor da Lei Seca


     Marquezelli: "Foi necessário o Congresso Nacional aprovar uma lei mais rígida para o trânsito"


O deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP) faz uma avaliação positiva dos dez anos em vigor da Lei Seca (Lei 11.705/08), que foi aprovada para diminuir os acidentes de trânsito provocados por motoristas embriagados. A lei também proíbe a venda de bebidas alcoólicas ao longo de rodovias federais.

Vidas poupadas

De acordo com a Escola Nacional de Seguros, nesses dez anos em vigor, 40 mil mortes no trânsito foram evitadas e outras 235 mil pessoas foram poupadas de terem invalidez permanente.
“Foi fundamental a criação da Lei Seca, foi necessário o Congresso Nacional aprovar uma lei rígida nessa área para poder coibir essas pessoas imprudentes”, avalia Marquezelli.

Falha humana

De acordo com o Observatório Nacional de Segurança Viária, 90% dos acidentes de trânsito ainda são causados por alguma falha humana. E entre essas falhas está a embriaguez ao volante.
Para Nelson Marquezelli, a Lei Seca melhorou a conscientização das pessoas sobre os perigos de dirigir alcoolizado.

Mas muitos motoristas ainda insistem em colocar a sociedade em risco. O deputado diz que “se todo mundo tivesse a consciência de que ao beber não pode dirigir, nós teríamos um trânsito melhor. Mas lamentavelmente, pessoas bebem e não deixam de dirigir”.

Exame toxicológico

O parlamentar é integrante da Comissão de Viação e Transportes da Câmara e lembra que além da proibição do consumo de bebida alcoólica, foi acrescentado um controle mais rígido também para o consumo de outras drogas por parte dos caminhoneiros, principalmente as conhecidas como rebite. O rebite é uma droga sintética, usadas durante o trabalho para manter o motorista acordado por mais tempo.

Nelson Marquezelli lastima que colisões entre caminhões e ônibus cheguem a ter “70, 80 mortos, isso não existe no mundo, só em fatalidades provocadas por acidente mecânico e não um acidente provocado por quem está dirigindo”.

Justiça benevolente

Apesar de reconhecer melhorias no trânsito brasileiro nesses dez anos de Lei Seca, o deputado afirma que a Justiça ainda deixa muito a desejar na aplicação dessa lei e que tem sido excessivamente benevolente com os infratores. “A Justiça deveria ser mais rigorosa. Lamentavelmente ela não acompanha a lei”, complementa.

A Organização das Nações Unidas (ONU) afirma que o Brasil ainda é o quinto país mais violento no trânsito, com 234 mortes por ano a cada 100 mil veículos. Quando os acidentes envolvem motocicletas, o País é o segundo com mais mortes, com cerca de 7 casos de óbito para cada 100 mil habitantes.

Reportagem – Claudia Brasil
Foto - Jotaric

 

Comentários

Não existem comentários

Postagem de comentários após três meses foi desabilitado.
  • ©2018 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.