Câmara aprova oferta de drenagem linfática pelo SUS; projeto é de Nelson Marquezelli


      Marquezelli: “São inegáveis os benefícios que a drenagem linfática traz após a mastectomia.”


A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou, na quarta-feira (11), o Projeto de Lei 780/07, do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), que inclui a Drenagem Linfática Manual (DLM) entre as técnicas de tratamento oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para pacientes que passaram por mastectomia, a retirada de mamas.

A cirurgia é um dos tratamentos oferecidos para o câncer de mama, que vitima 57 mil novas mulheres a cada ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). A drenagem linfática é uma técnica de massoterapia que busca eliminar toxinas e líquidos ao estimular a circulação dos vasos linfáticos.

“São inegáveis os benefícios que a drenagem linfática manual traz aos pacientes no tratamento terapêutico pós-operatório de mastectomia. Somente no Brasil, são realizadas mais de 30 mil cirurgias de mastectomia, apresentando na maioria das vezes, no pós-operatório, quadro de linfoedemas. Por isso, é tão necessário que o procedimento seja inserido em todos os hospitais”, atesta o parlamentar.

A proposta já havia sido aprovada pela comissão de Seguridade Social e Família e, como tramitava em caráter conclusivo, está aprovado pela Câmara e segue agora para o Senado.

Requisitos

Para receber o tratamento, a paciente precisará apresentar quadro de linfoedemas, ou seja, acúmulo do líquido linfático. O procedimento, segundo o projeto, deverá ser realizado por profissionais capacitados e habilitados pelos respectivos conselhos profissionais.

A relatora na CCJ, deputada Gorete Pereira (PR-CE), retirou do texto a previsão de que o Ministério da Saúde regulamente a lei. Segundo a deputada, essa regulamentação caberia à Presidência da República.
 
(Com informações do Câmara Notícias)
Foto – Jotaric

Comentários

Não existem comentários

Postagem de comentários após três meses foi desabilitado.
  • ©2019 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.