Para Canziani, homologação da Base Comum Curricular representa dia histórico

Escrito 21/12/2017, 17:20
Por
Categoria destaque

         Canziani: “Com essa base, vamos conseguir trabalhar a particularidade de cada região.”


O deputado Alex Canziani (PTB-PR) afirma que a homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) representou um dia histórico para a educação do Brasil. O parlamentar, que é presidente da Frente Parlamentar Mista da Educação, entende que uma base curricular é fundamental para a melhoria do ensino.

A BNCC foi homologada na quarta feira (20), em evento do Ministério da Educação (MEC). O documento estabelece o que os estudantes têm que aprender em cada etapa da educação básica. As escolas têm dois anos para se adequar às exigências.

“A princípio, muitos não acreditavam que seria possível reunir tantas pessoas para elaborar um projeto como esse. Mas, apesar de termos passado por seis ministros e dois governos, fizemos um grande arranjo para construirmos essa base. Houve três versões da BNCC e milhares de professores e pessoas em todo o Brasil apresentaram sugestões”, diz Canziani.

Língua portuguesa

Um dos itens destacados foi o aprimoramento da progressão em língua portuguesa, com detalhamento dos objetivos a serem alcançados desde a fase inicial de alfabetização até o fim do ensino fundamental e o aumento gradativo da complexidade das habilidades a serem desenvolvidas. Os ajustes mais recentes feitos à base trouxeram avanços em áreas como tecnologia e língua portuguesa.

Os professores receberão formação continuada para se familiarizarem com os novos parâmetros, orientações e objetivos de aprendizagem. O material didático e as avaliações de ensino, como o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e a Prova Brasil, também passarão por adequações.

“Ainda vamos ter a possibilidade de trabalhar a particularidade de uma determinada região, porque esse currículo não engessa. Vai ser o ponto fundamental para que cada aluno do nosso País, independentemente de onde ele esteja, no Nordeste, no Norte, no Sul, no Centro-Oeste do País, tenha o direito de aprendizagem”, observa o deputado.

Cronologia

A implantação de uma Base Nacional Comum Curricular está prevista na Constituição e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), de 1996. A primeira versão da BNCC foi divulgada pelo MEC em setembro de 2015 e recebeu 12 milhões de contribuições. Em maio de 2016, foi lançada uma segunda versão, incorporando o debate anterior.

Após nova rodada de debates, que contou com a participação de 9 mil professores em seminários do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed) e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) realizados em todas as unidades da federação, o MEC preparou uma terceira versão, encaminhada ao Conselho Nacional de Educação em abril de 2017. Ao longo deste ano, o CNE ainda promoveu cinco audiências públicas regionais para colher mais sugestões.
 
Reportagem – Celimar de Meneses, sob a supervisão de Regina Mesquita e com informações do Ministério da Educação
Foto – Jotaric 

Comentários

Não existem comentários

Postagem de comentários após três meses foi desabilitado.
  • ©2019 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.