Plenário pode votar Marco Regulatório dos Jogos em novembro, informa Marquezelli


               Nelson Marquezelli (2º da esq. p/ dir.) participa do lançamento da frente parlamentar.


O Marco Regulatório dos Jogos pode ser votado pelo Plenário da Câmara dos Deputados na primeira semana de novembro. A informação é do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), integrante da Frente Parlamentar pela Aprovação do Marco Regulatório dos Jogos no Brasil, lançada nesta quarta-feira (18) com o apoio de 262 deputados.

“O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, se comprometeu comigo a colocar a matéria para o Plenário votar na primeira semana de novembro. Vamos aprovar na Câmara, depois Senado. E o presidente Michel Temer também já se comprometeu a sancionar. No ano que vem, teremos os jogos já regularizados no Brasil”, previu.

O projeto que trata do assunto (PL 442/91) já foi aprovado por uma comissão especial da Câmara e está pronto para ser incluído na pauta do Plenário. O texto legaliza e regulamenta as atividades de cassinos, jogo do bicho e bingos no País, inclusive o funcionamento de máquinas de videobingo, caça níqueis, apostas e jogos online.

Mais empregos

Marquezelli acredita que a regularização do setor vai beneficiar a economia do País, aumentando o turismo e gerando mais postos de trabalho.

“Com o jogo, poderemos gerar 700 mil empregos e, já no primeiro ano, teríamos uma arrecadação de R$ 28 bilhões; no segundo, de R$ 80 bilhões; e, no terceiro, nivelaria entre R$ 140 e R$ 150 bilhões. Então, é urgente a regulamentação. Alguém está ganhando com os jogos e não é a sociedade brasileira”, declarou.

Ainda segundo o parlamentar, no Brasil já existem 500 mil pontos de jogo do bicho que passariam a ser regularizados, além de cassinos clandestinos. Com a aprovação da matéria, todos esses estabelecimentos seriam regularizados e passariam a pagar impostos.

“Os brasileiros viajam a Las Vegas, Mônaco, Macau, Itália, Portugal e Espanha para jogar. Se regularizarmos os jogos, se abrirmos cassinos, daremos de dez a zero neles, porque temos praias, florestas, rios, além do nosso povo simpático. Eles só têm os cassinos”, comparou Marquezelli.
 
Reportagem – Celimar de Meneses, sob a supervisão de Renata Tôrres
Foto – Instagram/Nelson Marquezelli

Comentários

Gravatar
Fernando

19/10/2017, 20:45

Não legalize essa porcarias não. Só não jogo porque não tem nada liberado, pois, se tivesse, voltaria com o meu terrível vicio.

Gravatar
Paulo

19/10/2017, 20:43

Não concordo com a legalização. Nós, que ganhamos pouco, iremos perder nos bingos o que não temos.

Postagem de comentários após três meses foi desabilitado.
  • ©2021 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.