Bengtson: é preciso maior fiscalização para evitar que motorista consuma álcool e dirija

Escrito 17/10/2017, 18:00
Por
Categoria destaque

            Bengtson: “Não dá para combinar alcoolismo e bebida alcoólica com direção, não dá.”


O deputado Josué Bengtson (PTB-PA) pediu maior fiscalização da aplicação da Lei Seca nas cidades e nas estradas. Segundo ele, a vigilância nos motoristas caiu muito e, atualmente, não é suficiente para evitar que dirijam embriagados.
 
A Lei Seca, que proíbe pessoas de conduzirem um veículo após ingestão de bebida alcoólica, e estabelece punição para quem desobedecê-la, fez os números de acidentes de trânsito ligados ao álcool caírem logo após sua publicação, em 2008, em parte devido à fiscalização que se seguiu.
 
“A maioria dos acidentes de carro é culpa do motorista embriagado. Hoje, de 50 mil pessoas que perdem a vida em atropelamentos, mais da metade tem a ver com o álcool. Temos que evitar isso”, avaliou o Bengtson.

Pesquisa

A Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde, de 2016, mostra que os números de óbitos diminuíram cerca de 11% em acidentes de trânsito entre 2014 e 2015.
 
No entanto, apesar da queda das mortes, o percentual de brasileiros que combinam álcool e direção aumentou. Segundo os dados, 7,3% da população adulta das capitais brasileiras declararam que bebem e dirigem. No ano anterior, o índice foi de apenas 5,5%. Um aumento de 32% em apenas um ano.
 
Bengtson assegura que quem ingere álcool prejudica seus reflexos e perde o controle, achando que nada de ruim pode acontecer – se considera “um super-homem ou uma super-mulher”.

“Não dá para combinar alcoolismo e bebida alcoólica com direção, não dá”, declarou.

Reportagem – Celimar de Meneses, com a colaboração de Regina Mesquita e sob a supervisão de Renata Tôrres
Foto – Jotaric

Comentários

Não existem comentários

Postagem de comentários após três meses foi desabilitado.
  • ©2021 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.